Instituto Laje Viva » Publicações

PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS E TÉCNICAS

O Instituto Laje Viva é uma ONG com fins de Pesquisa Científica, Educação Ambiental e Preservação de Espécies e Ambientes Marinhos. É uma entidade extremamente atuante e no âmbito técnico-científico, a maior prova disso é a grande produção de conteúdo já realizada. A seguir destacamos os artigos científicos internacionais já publicados.

  • Título

    Medeiros et al – Occurrence and use of an estuarine habitat by giant manta ray Manta birostris

    Autor(es)

    A. M. MEDEIROS, O. J. LUIZ AND C. DOMIT

    Ano

    2015

    Resumo

    Com base no conhecimento dos pescadores artesanais locais e em observações diretas, este estudo apresenta evidências de que a raia manta gigante Manta birostris utiliza o complexo estuarino de Paranaguá no sul do Brasil, sul-oeste do Oceano Atlântico, em um padrão sazonal previsível. As observações comportamentais sugerem que o estuário pode atuar como um berçário para M. birostris durante o verão. Publicado na Sociedade de Pescas das Ilhas Britânicas.

  • Título

    Stampar etal – Risk in a symbiotic species associating with an endangered one Cahiers Biologie Marine France

    Autor(es)

    SÉRGIO N. STAMPAR, CHRISTIAN C. EMIG, ANDRÉ C. MORANDINI, GUILHERME KODJA, ANA PAULA BALBONI & FÁBIO LANG DA SILVEIRA

    Ano

    2010

    Resumo

    A conservação de espécies ameaçadas de extinção está em foco atualmente. Interessantemente, alguns grupos de invertebrados atraem a atenção científica nesse assunto em razão de constituírem a vasta maioria da biodiversidade animal. Muitas espécies de invertebrados estão atualmente ameaçadas de extinção, o que significa que estão correntemente desaparecendo da nossa vista. Durante uma expedição no sudoeste do Oceano Atlântico, foram coletadas amostras dos tubos de uma espécie de cerianto ameaçada de extinção. Esse estudo revelou pela primeira vez a ocorrência da espécie Phoronis australis em águas do sudoeste do Oceano Atlântico e sua associação com o gênero Ceriantheomorphe. Esse fato levanta a questão sobre os riscos de mútua extinção de espécies simbióticas e também sobre os critérios para sua inclusão em listas vermelhas de animais ameaçados.

  • Título

    O J Luiz Jr et al – Seasonal occurrences of Manta birostris in southeastern Brazil

    Autor(es)

    OSMAR J. LUIZ JR - ANA PAULA BALBONI - GUILHERME KODJA- MAURÍCIO ANDRADE - HELOISA MARUM

    Ano

    2009

    Resumo

    Análise de 79 fotografias subaquáticas de Manta birostris reunidas ao longo de um período de nove anos em uma área marinha protegida no Sudeste do Brasil sugere uma alta previsibilidade de ocorrências de raias mantas na região durante o inverno austral (junho-setembro). As razões disso provavelmente estão relacionados às condições oceanográficas sazonais, caracterizadas pela presença de uma frente costeira no inverno e consequente enriquecimento do plâncton, o que proporciona uma oportunidade para a alimentação das raias mantas. Além disso, um indivíduo de coloração melanística é relatada pela primeira vez no Oceano Atlântico, coloração semelhante à denominada “manta negra” do Oceano Pacífico. Publicado na Ichthyological Society of Japan.

  • Título

    Luiz Jr et al – Reef Fishes of Laje de Santos Marine Park – ZOOTAXA

    Autor(es)

    OSMAR J. LUIZ JR., ALFREDO CARVALHO-FILHO, CARLOS E. L. FERREIRA, SERGIO R. FLOETER, JOÃO LUIZ GASPARINI & IVAN SAZIMA

    Ano

    2008

    Resumo

    O cientista Osmar José Luiz Junior, muito bem acompanhado por outros especialistas, apresenta uma lista contendo 196 espécies de peixes recifais registados no Laje de Santos Parque Estadual Marinho. Dados básicos sobre a abundância das espécies na área de estudo, a distribuição de espécies entre os tipos de habitat, estrutura trófica, alimentação, associações simbióticas, e de conservação são comentados nesse importante trabalho publicado na Zootaxa.

  • Título

    Stampar et al – First Record of Stomotoca atra

    Autor(es)

    SÉRGIO N. STAMPAR, GUILHERME KODJA

    Ano

    2007

    Resumo

    O gênero Stomotoca é caracterizada por uma medusa com dois tentáculos marginais opostos e um estômago em um amplo pedúnculo que se estende para além da margem do sino. A espécie Stomatoca atra era normalmente relatada em águas do Pacífico. Nesta nota, apresentamos os registros de dois espécimes de Stomotoca atra encontrados na coluna de água no Parque Estadual Marinho  da Laje de Santos, em 10 de janeiro de 2006 e em 23 de dezembro de 2006.

  • Título

    Stampar – Predação de tartarugas de pente (Eretmochelys imbricata) em zoantídeos

    Autor(es)

    SÉRGIO N. STAMPAR, PAULO FRANCISCO DA SILVA, OSMAR J. LUIZ JR. & ANA CRISTINA V. BONDIOLI

    Ano

    2007

    Resumo

    Primeira observação da predação de tartaruga de pente (Eretmochelys imbricata) sobre o zoantídeo Palythoa caribaeorum. A tartaruga de pente é uma espécie ameaçada de extinção que habita os mares tropicais e subtropicais do globo e que desempenha importante papel ecológico nos recifes de corais, sendo uma das espécies de tartaruga marinhas mais comuns no Parque Estadual Marinho da Laje de Santos. Apesar de seu hábito onívoro, a tartaruga de pente tem clara preferência alimentar por invertebrados, principalmente esponjas. Em raras ocasiões foram relatados atos predatórios de tartarugas de pente sobre alguns cnidários, bem como hidróides e anêmonas do mar, mas nunca antes haviam sido observadas predando o que popularmente chamamos de coral babão, o zoantídeo Palythoa caribaeorum. PAINEL do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, Instituto Laje Viva, Depto. de Zoologia da Universidade Estadual de Campinas, e do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo.

  • Título

    Stampar etal Predation on the Zoanthid Palythoa caribaeorum (Anthozoa, Cnidaria)

    Autor(es)

    SÉRGIO N. STAMPAR, PAULO FRANCISCO DA SILVA & OSMAR J. LUIZ JR.

    Ano

    2007

    Resumo

    Primeira observação da predação de tartaruga de pente (Eretmochelys imbricata) sobre o zoantídeo Palythoa caribaeorum. A tartaruga de pente é uma espécie ameaçada de extinção que habita os mares tropicais e subtropicais do globo e que desempenha importante papel ecológico nos recifes de corais, sendo uma das espécies de tartaruga marinhas mais comuns no Parque Estadual Marinho da Laje de Santos. Apesar de seu hábito onívoro, a tartaruga de pente tem clara preferência alimentar por invertebrados, principalmente esponjas. Em raras ocasiões foram relatados atos predatórios de tartarugas de pente sobre alguns cnidários, bem como hidróides e anêmonas do mar, mas nunca antes haviam sido observadas predando o que popularmente chamamos de coral babão, o zoantídeo Palythoa caribaeorum. Marine Turtle Newsletter.

  • Título

    O. J. Luiz Jr – The occurrence of Acanthurus monroviae in the south-western Atlantic

    Autor(es)

    O. J. LUIZ-JÚNIOR, S. R. FLOETER, J. L. GASPARINI, C. E. L. FERREIRA AND P. WIRTZ

    Ano

    2004

    Resumo

    A presença de invasores peixes-cirurgião da espécie Acanthurus monroviae do leste do Atlântico é confirmada para a região sudeste do Brasil. Outras três espécies, Aulostomus strigosus (Aulostomidae), Parablennius pilicornis (Blenniidae) e Epinephelus marginatus (Serranidae), aparentemente, também cruzaram o Atlântico de leste a oeste, enquanto que a grande maioria das espécies ocorrentes em “ambos-os-atlânticos” parecem ter sua origem do lado oeste do Atlântico. Journal of Fish Biology.


Patrocínio

Patrocinadores

Apoio Institucional

Embraport

Colaboradores

Contato

Envie-nos uma mensagem