Instituto Laje Viva » O Parque » Pontos de Mergulho

Mapa Completo 1

  • Boca da Baleia

    Boca da Baleia

    Profundidade máxima: 18M
    Nivel: Avançado

     

    A Boca da Baleia é um espetáculo de formação rochosa com muitos peixes e tartarugas. Após dobrar a Ponta Leste, a pedra desce até uns 18m; continuando sentido Sul, chega-se a uma nova formação rochosa, por cima da qual passamos para a parte de fora da Laje, atingindo o ponto conhecido como Paredão. Navegando sentido Sudoeste irá entra na gargana ou funil, que sobe até a superficie; não vá até o final, pois é o refluxo é muito forte, convite a um acidente. No meio da garganta existem algumas pedras bem grandes que formam uma úvula (campainha que temos na garganta), onde é possível dar-se um belo passeio quando o mar está calmo.

  • Ponta Leste

    Ponta Leste

    Profundidade máxima: 29m
    Nivel: Avançado

     

    Cair na extremidade Leste da Laje de Santos exige condições ideais, pois o refluxo pode ser muito violento. Mantenha distância da superfície, vencendo a tentação de ir ver de perto os pampos galhudos e os agulhas que são muito comuns próximos à superfície. Desce até 29 metros de profundidade. A meio caminho da descida rente ao fundo, são comuns as raias pregos, grandes garoupas, chernes e até meros. Mais próximos à superfície há sempre muitas tartarugas e cardumes variados. É muito comum o mergulhador se enganar, achando que está dobrando para trás da Laje, quando, na verdade, está passando apenas a primeira saliência rochosa, após a qual, rumando à direita rente à pedra lisa, chega-se ao fundo de um funil chamado de Boca da Baleia.

  • Naufrágio do moréia

    Naufrágio Moréia (nome real desconhecido)

    Profundidade máxima: 22m
    Nivel: Básico

     

    Localizado próximo à Ponta Leste da Laje (à esquerda de quem chega de Santos), é um naufrágio proposital (foi provocado em 1995) para atrair fauna e turismo, criando um recife artificial, o primeiro no Brasil. Era um pesqueiro de ferro abandonado na região de Bertioga, para lá rebocado pelo Sr. Clovis Benno, que o afundou. Seu estado é muito instável, pois está se desmantelando, por isso é desaconselhável a penetração em seus porões. O casario já está desabado. Várias espécies de invertebrados (anêmonas, gorgônias, etc) incrustados, garoupas, sargos, corcorocas e salemas são vistos por ali. Para fora do Moreia, afastando-se do costão, é um bom ponto para arriscar a avistagem de uma raia manta de passagem durante o inverso. Cuidado para não perder o contato visual com o naufrágio. Dependendo do período, a presença de correntes e termoclina pode tornar o mergulho desconfortável, mas não apresenta maiores dificuldades.

  • Portinho

    Portinho

    Profundidade máxima: 22m
    Nivel: Básico

     

    É o costão rochoso voltado para o continente (face Norte), e por isso a parte mais abrigada da Laje, onde apoitam todas as embarcações de mergulho que visitam o local. É a parte mais acessível da Laje, onde, em sua maior parte, o costão de rochas fragmentadas apresenta declive suave, com baixo grau de dificuldade ao mergulhador. Em apenas uma localidade o relevo é liso e íngreme até o fundo arenoso. O costão é habitados por muitos peixes bentônicos e invertebrados. Comum a presença de tartarugas marinhas. Ideal para a permanência de mergulhadores pouco experientes.

  • Parcel das Ancoras

    Parcel das Âncoras

    Profundidade máxima: 40m
    Nivel: Avançado

     

    É uma formação rochosa que parte do lado oeste da Laje fazendo um angulo de quase 90º no sentido do continente, após passar por um cabeço que chega aos 12m. É possivel ver muitas âncoras de pesqueiros perdidas entre as rochas. Garoupas grandes, cardumes de passagem, ceriantos e poliquetas tubícolas caracterizam o local. Exige boa experiência por causa da profundidade atingida e pela possibilidade de correnteza, já que o ponto perde o abrigo da porção emersa da Laje. Passando dos 27m, é normal a visibilidade ficar prejudicada e a água mais fria, o que favorece o efeito narcose. Em dia de águas claras, propicia as mais belas paisagens submarinas da região.

  • Piscinas Tania Stoffa

    Piscinas (Ponta Oeste)

    Profundidade máxima: 19m
    Nivel: Avançado

     

    Um dos pontos mais destacados pela presença de muitos cardumes e tartarugas e onde não é raro avistarmos chernes grandes. Localizando-se na “virada” da ponta Oeste da Laje rumo a Sudoeste (sentido contrario ao Parcel das Âncoras), é comum a presença de correntes. Existem duas formas de entrar no recinto das Piscinas, sendo a primeira por um caminho bem raso (entre 3m e 6m de profunidade) acompanhando a parte exposta do rochedo, onde é necessário bom controle de flutuabilidade, passando por dois grandes “degraus” de rochas descendentes, formando um baixio que dá o nome de Piscinas. Ali os carduminhos de jaguareçás e de salemas estão sempre enfeitando a bela paisagem. Seguindo em frente e acompanhando o rochedo exposto chega-se ao início do paredão. A segunda forma é acompanhar a pedra lisa na profundidade de 10m sempre mantendo-se à esquerda, sentido Sudoeste a Sul. A profundidade pode variar desde 6 a 8 metros na parte rasa, até mais de 19m na parte funda, passando desta profundidade irá sair do abrigo da Laje podendo-se chegar a mais de 35m.

  • Paredao

    Paredão de Fora

    Profundidade máxima: 35m
    Nivel: Avançado

     

    É a face Sul da Laje, também conhecido como a parte de fora. A pedra desce de forma vertical até cerca de 35 metros com se fosse uma parede. No meio do caminho entre ponta oeste e ponta leste, apresenta uma fenda em torno dos 16m de profundidade que penetra para o interior da rocha, onde se abrigam muitos peixes, é recomendado não penetrar para não sofre um acidente. É muito comum encontrar tartaturas se alimentando por ali e cardumes de peixes de passagem aparecem durante o mergulho. Também é recomentado boa experiência. O mergulho em “drifting”, não sendo possível fundear a lancha, então é importante que o mergulhador tenha especialização nessa modalidade de mergulho.

Parcéis do PEMLS de Leste para Oeste:

  • Calhaus

    Calhaus (Rochedos dos Calhaus)

    Profundidade máxima: 30m
    Nivel: Avançado

     

    Cerca de 1 milha a Sudeste da Laje, é a outra formação rochosa que aflora à superfície. Possui um túnel em forma de “U”, com um arco no centro, onde é possivel ver cardumes, tartarugas, lagostas, e que fornece uma das mais belas paisagens aos mergulhadores da região. A entrada do túnel exige boa flutuabilidade devido à baixa profundidade, em torno de 3m a 6m, muita calma e pernas forte por causa da correnteza e do refluxo. Normalmente a saída pode ser feita seguindo à direita e voltando por fora, pela face Oeste dos Calhaus, onde se encontra muita vida marinha e formações rochosas interessantes com a profundidade podendo chegar a 20m. O mergulhos também costumam ser feitos em “drift”, ou seja, ida sem volta ao ponto de origem; mas nunca faça isso se não tiver sido previamente com seu operador de mergulho e seu dupla. A profundidade máxima na saída do túnel é de 19 metros até o final da parte abrigada, seguindo pode-se chegar a mais de 35m. Do lado de fora dos Calhaus, a face Leste, chega-se à profundidades de até 40 metros, com lajes e blocos de rochas em formações interessantes com possibilidade de encontrarmos peixes maiores e cardumes de passagem. O mergulho na região defronte à entrada do túnel também pode ser muito interessante e diferente. Afastando-se do costão, rente ao fundo, é possível observar muita vida diferente que vive entre os corais mortos que recobrem o fundo.

  • Parcel do Brilhante

    Parcel do Brilhante

    Profundidade máxima: 40m
    Nivel: Avançado

     

    É um pico rochoso único, submerso a 15m de profunidade, difícil se ser localizado, em especial sem a ajuda de um expert na região e com precisas coordenadas no GPS e uma boa sonda. Seu topo submerso cintila ao sol em dias de aguas claras quando as embarcações passam por cima dele, daí o nome de Parcel do Brilhante. Alguns peixes de grande porte costumam descansar ao seu redor.

  • Parcel do Bandolim

    Parcel do Bandolim

    Profundidade máxima: 36m
    Nivel: Avançado

     

    É um espalhado de pedras que se inicia aos 29m e se prolonga até mais de 35m. E possivel avistar grandes peixes de passagem. É comum correntezas fortes no local, levando o mergulhador a derivar e perder a referencia se não tiver boa visibilidade ou um cabo guia.

  • Parcel do Sul

    Parcel Sul (ou do Sudoeste)

    Profundidade máxima: 36m
    Nivel: do Básico ao Avançado, dependendo do perfil traçado ao mergulho.

     

    É uma pedra gigantesca oval quase do tamanho da laje, localizado a 0,5mn a sudoeste da Laje de Santos. Seu topo é bem raso, de 6 a 8m de profunidade. Em dias sem correnteza e com visibilidade razoável, não apresenta dificuldade ao mergulhador. Por ser um lugar desabrigado, atenção redobrada à entrada da correnteza. Do topo da grande pedra, o ponto permite a descida até o areião por todos os lados, a 29 metros de profundidade. Há algumas formações rochosas interessantes na profundidade de 20 metros, que também não oferece dificuldades a mergulhadores com certa experiência. Distanciando-se da pedra, as profundidades aumentam para mais de 35m.

  • Parcel do Novo

    Parcel Novo

    Profundidade máxima: 32m
    Nivel: Avançado

     

    No mesmo alinhamento dos Calhaus, mais a Oeste, esse parcel é submerso todo o tempo. A formação começa aos 25m e desce até mais de 30 metros. Nenhum abrigo, com presença de correntes regularmente. Só para mergulhadores muito experientes e com ótimo senso de orientação.


Patrocínio

Patrocinadores

Apoio Institucional

Embraport

Colaboradores

Contato

Envie-nos uma mensagem